quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Quem sou eu?

Meu nome é Davi Ribeiro Paiva, nasci em Fortaleza-CE, no dia 18 de Março de 2010.

Nasci com problemas no meu coração e fui operado em São Paulo-SP.

Através de e-mails enviados pelos meus pais, vou contar um pouco da minha vida para vocês:


Amigos(as),

Em alguns momentos de nossas vidas, passamos por momentos difíceis, e são neste momentos que temos que estar unidos e ter força para enfrentar estas dificuldades.

Nosso 3º. Filho, Davi, nasceu com uma cardiopatia congênita chamada de “Tetralogia de Fallot”.

Tivemos a felicidade de ter um diagnóstico precoce da doença, pois através da Ecografia Fetal (exame feito no 7º. Mês de gravidez) identificamos que o Davi parecia ter uma CIV (Canal Intra Ventricular). O exame foi repetido no 8º. Mês e com 12 dias de vida, fizemos a Ecografia no Davi, onde o médico nos disse que realmente o Davi tinha “Fallot de boa anatomia”, mas que isto era resolvido através de uma cirurgia.

Naquele momento, lembro como se fosse hoje, ficamos arrassados, não entendiamos por que isto aconteceu com o Davi já que a Luciana teve muito atenção e cuidado com o seu pré-natal. No momento de tristeza acabamos encontrando forças para enfrentar a situação e já demos o primeiro passo: Conhecer melhor o problema. Passamos horas e horas navegando na Internet, lendo, entendendo. O pediatra do Davi veio em nossa casa no dia seguinte pela manhã e nos orientou a procurar uma cardiologista pediatrica.

Fiz a primeira visita à médica do Davi no Hospital de Messejana na 5ª. feira da semana santa (ela é responsável pela UTI Pediatrica) e fiquei muito feliz com a conversa que tive com ela, pois além de mostrar segurança no assunto, a Dra. Klebia me pareceu muito humana e gentil. Agendamos a consulta do Davi para a 3ª. feira seguinte e fomos muito bem recebidos pela Klebia.

Estava tudo indo bem, Davi não era cianótico (o fallot é conhecido como síndrome do bebê azul), tinha uma vida normal (só a gente e principalmente a Luciana, que se dedicou de corpo e alma ao Davi, ficavamos sempre preocupado) porém ao chegar no 2º. Mês de nascimento ele comecou a ter crises de hipoxia (falta de oxigenacao no sangue) e acabou sendo internado por 6 dias no Hospital de Messejana onde iniciou a medicação (Propanolol) e fez uma transfusão de sangue (precisava aumentar o indice de hematocrito). Foi um momento super dificil, mas com o apoio da familia, dos amigos, dos médicos e enfermeiras conseguimos superar.

Sabíamos que a melhor época para realizar a cirurgia era quando Davi chegasse no 6º. Mês, e comecamos a nos preparar quando ele completou 4 meses. Fizemos uma visita ao cirurgião cardio-pediatra Dr. Valdester que nos explicou como seria cirurgia e apoiou a nossa iniciativa de realizarmos a cirurgia em São Paulo, por uma questão de infra-estrutura hospitalar.

No dia 22 de Julho fui a São Paulo e fiz uma consulta com o Dr. Marcelo Jatene, que foi indicado pela Klebia e pelo Valdester. O Davi não foi a São Paulo e a consulta foi toda “virtual”, levei todos os exames, um pequeno documento explicando todo o histórico do Davi (inclusive a internação). A consulta foi ótima e o Dr. Marcelo me disse que já podíamos operar, que o quadro clínico do Davi era muito bom, e que apenas deveria resolver as questões burocráticas para realizarmos a cirurgia.

Tudo resolvido e amanhã será o dia da cirurgia do Davi. Saímos de Fortaleza às 6h da manha e o Davi será hospitalizado hoje no Hospital do Coração (HCOR) em São Paulo às 17h.

Estamos confiantes e acima de tudo com muita fé de que tudo vai dar certo. Sabemos que não é algo simples, mas vamos entregar nas mãos de Deus para que ele abençoe toda a equipe médica para que a cirurgia seja bem sucedida e logo, logo, o Davi possa voltar a sua casa.

A cirurgia do Davi será amanhã cedo (5a. feira) e agradecemos antecipadamente a todos que orem por sua saúde.

Edgy, Luciana e Familia.

2 comentários:

Anônimo disse...

Queridos pais e Davi,
Fiquei emocionada com a estória de vida e luta de vocês. Eu também tive um filho com Cardiopatia Congênita, mas ele veio a falecer, com uma CC grave - Atresia Mitral), e hoje tenho uma princesa em casa, saudável. Lancei um livro entitulado: Quando um coração pulsa para dois. Trata-se da interface entre Cardiologia(CC) e Psicanálise, em parceria com o Incor-Criança(Ce). Será apresentado novamente dia 18/01/11 na livraria Oboé (Center Um), às 19:30h. Creio que possa ajudar muitas famílias, que passam por esta dolorosa experiência... Um abraço, Wecia Mualem

Luciana de Almeida disse...

Oi Wecia, sentimos muito pelo seu filho e ficamos felizes pela sua princesa saudável. Vamos fazer de tudo para irmos para a aprsentação do seu livro e estamos curiosos para conhecer esse livro.
Um abraço
Edgy e Luciana

Postar um comentário